Biografia

BIOGRAFIA
GERMANO GLADSTONE DE OLIVEIRA JAPIASSÚ

Pernambucano, do Recife, enveredou pelos caminhos da arte musical no começo dos anos 60, inicialmente na Filarmônica São Tomé, em Sumé/PB, em seguida, na Escola Apostólica São Boaventura, em Triunfo/PE, no Seminário Franciscano Santo Antônio, em Lagoa Seca/PB, onde foi solista soprano do Coral de Ipuarana (1964), e depois começou a compor suas primeiras canções em Campina Grande/PB. A partir de 1970 transferiu-se para a capital pernambucana com o objetivo de ingressar na universidade e participar de movimentos culturais, apresentando-se em festivais estudantis e festivais de música promovidos pela Rede Tupy de Televisão e TV Jornal do Commércio. Premiado em vários desses festivais, alcançou o 1º lugar, em 1973, com o frevo-canção De Sangue Quente (em parceria com Rogério Gutemberg & Salatiel José). Nessa época, foi um dos fundadores das bandas recifenses Limousine 99 e Tejucupapo Bando, atuando como vocalista, violonista, autor e compositor, participando de vários shows em teatros, inclusive nas trilhas sonoras do filme em super 8, Valente é o Galo, do cineasta e jornalista pernambucano Fernando Spencer, o qual foi premiado em 1º lugar na III Jornada Brasileira de Curta Metragem, realizada em Salvador/BA, e apresentado no Festival de Obemhausen, na Alemanha. Em seguida, participou da trilha sonora do fime em 16 mm, Adão Foi Feito de Barro, filme produzido pela EMPETUR e Fernando Spencer.

Em 1982, foi assistente de produção do LP Canção no Pé da Ponte, distribuído pela Fermata Indústria Fonográfica Ltda., ocasião na qual foi convidado pela TV Globo para uma apresentação no programa Som Brasil, dirigido por Rolando Boldrin, onde cantou “Quatro Cascos”, uma das canções inseridas no citado LP.

Tem músicas gravadas por: Claudionor Germano, Banda de Pau e Corda, com participação de Dominguinhos, Limousine 99, Tejucupapo Bando, Ivan Morais, dentre outros.

Na virada do século, o mercado editorial pernambucano registra o nome de Germano Gladstone e das bandas recifenses Limousine 99 e Tejucupapo Bando, na trajetória da música pernambucana, informando que as mesmas tentaram inovar no frevo e que a Limousine 99 foi o primeiro grupo que eletrificou o frevo em Pernambuco, arrebatando na época o 1º lugar nos festivais de frevo em 1973, e acrescentando que a banda tratava o frevo de uma forma mais ligada ao rock e ao pop.

A partir de 2002, retomou definitivamente a carreira artística com o pseudônimo de Mano Gladstone, iniciando um novo trabalho de produção musical de suas canções inéditas, lançando o seu 1º CD, O Contratorpedeiro, em 30 de julho de 2004, em tenda armada na Praia de Boa Viagem, em Recife/PE, através do CCBB (Circuito Cultural Banco do Brasil), tendo a imprensa local considerado o álbum uma novidade na música pernambucana. Em dezembro de 2008, sai do estúdio o 2º CD, Genoma dos Sonhos, contendo 12/13 canções, cujo lançamento aconteceu em 05 de julho de 2009, no Palco da Livraria Cultura do Paço Alfândega – Recife Antigo, igualmente elogiado pela imprensa pernambucana especializada. O 3º álbum, de título Comunidade Natural, contendo 13 canções, com release no encarte da arte gráfica do CD assinado pelo jornalista, escritor e crítico musical, José Teles, tem seu pré-lançamento previsto para dezembro de 2011, na Passadisco, no Shopping Sítio Trindade, em Recife/PE.

Formado em direito em 1976, pela Faculdade de Direito do Recife da Universidade Federal de Pernambuco. Advogado atuante no seu Estado e em outros do Nordeste nos anos 1976/1985. A partir de 1977, afastou-se das atividades artísticas em virtude de sua vida profissional como advogado. Em outubro/1985, foi nomeado Juiz de Direito no Estado de Pernambuco, tendo exercido o cargo nas Comarcas de Flores, Triunfo, Serra Talhada, Macaparana, Timbaúba, Paudalho e Olinda, sendo que, nesta última, como Juiz Coordenador do 1º Juizado Especial de Pequenas Causas. Promovido para a capital em dezembro de 1992, exerceu o cargo como Juiz de Direito Substituto de 3ª Entrância, nas 1ª, 2ª e 5ª Varas Privativas dos Feitos da Fazenda Pública Estadual, 1ª e 3ª Varas Privativas dos Feitos da Fazenda Pública Municipal, 2ª Vara Criminal, 4ª Vara de Família da Assistência Judiciária, Vara Privativa dos Crimes Contra a Administração Pública e Economia Popular, nas 1ª, 4ª, 10ª e 11ª Varas Cíveis da Capital e como Juiz Auxiliar junto ao GEAP (Grupo Especial de Agilização Processual). Aposentou-se da magistratura estadual em maio de 1997 quando estava em exercício na 1a. Vara Privativa dos Feitos da Fazenda Pública Estadual. Nos anos 2000 e 2001, exerceu a função de Assessor de Desembargador junto ao Tribunal de Justiça do Estado de Pernambuco.